segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Igrejas de Pedra (Vigia e porto Salvo)- o que essas pedras nos falam?

Já há algum tempo que os historiadores tentam resgatar o verdadeiro significado do que alguns chamam de "Expedição Portuguesa pela Amazônia"(fonte).
O termo "expedição" soa bem heróico e nobre e atrante, mas escondem uma história de dor, subjugação, aculturação e ganância. O que aconteceu de fato na história do Brasil foi uma invasão física e cultural. 
No Brasil haviam mais de 300 idiomas indígenas e atualmente há 180 (Fonte), uma história que está sendo esquecida.
É muito bom visitar lugares históricos, mas sem perder de vista seu significado. Somos frutos dessa colonização, adotamos sua língua e religião, sem questionamentos.
Vigia é a considerada pela história tradicional como a primeira cidade do estado do Pará, mas o que é "cidade"? , digamos corretamente, primeira cidade ocupada oficialmente pelo império português. A cidade de "Mairi"(posteriormente chamada de Belém), por exemplo, já era ocupada por tupinambás que diga-se de passagem resistiram bravamente aos conquistadores estrageiros, com destaque para seu "chefe" Guaimiaba, cabeça de velha, ao ponto da necessidade de se construir o "forte do castelo" outrora chamado forte do presépio.(Fonte)
Quando se fala em igreja de pedra no Brasil, lembramos imediatamente dos jesuítas, e os índios? ah, sim estes eram a mão de obra. Barata, aliás bem barata, gratuita. Subjugados ideologicamente através da catequese e Aldeamentos.

 A caminho para a vila de Porto Salvo, antiga vila de pescadores de Vigia, encontramos também uma antiga igreja de pedra, já um pouco descaracterizada











http://www.alepa.pa.gov.br/alepa/blog.php?iddeputado=1
https://docs.google.com/View?id=dchwvh9f_1g335gnv3&pli=1  (Carlos Roque)
http://portalmultirio.rio.rj.gov.br/historia/modulo01/acao_jesuitas.html

4 comentários:

Marcelo Carvalho disse...

Parabéns pela postagem, o texto faz um mix equilibrado entre opinião e saber histórico.

Acho que os professores de história devem além de ensinar, expor seu próprio pensamento.

Um abraço,

Marcelo Carvalho

Prof. Adinalzir disse...

Parabéns pela excelente postagem!
Aqui, nos bairros cariocas, também temos registros fortes dessa presença. E olha que são muitos: vestígios de sambaquis, pontes, prédios e viadutos históricos, etc. Isso tudo, sem citar o centro do Rio de Janeiro, onde a mídia se concentra mais, divulgando para todo o Brasil e o mundo, somente os exemplos do Cristo Redentor, dos Arcos da Lapa, de Copacabana, do Maracanã, da Biblioteca Nacional, do Theatro Municipal, etc. Se esquecendo da história local dos nossos bairros mais distantes. Veja os links: http://saibahistoria.blogspot.com/2006/07/histria-da-regio-de-iraj-rj_23.html
http://saibahistoria.blogspot.com/2006/07/histria-da-regio-de-campo-grande-rj_30.html
http://saibahistoria.blogspot.com/2007/04/o-papel-dos-trens-na-cidade-do-rio-de.html
Desejando um Feliz Natal e um 2011 cheio de paz! Um grande abraço!

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Eric, envio mais um link sobre a história do Rio de Janeiro, que assim como a do Pará, é muito rica em informações importantes.
http://saibahistoria.blogspot.com/2009/01/nomes-curiosos-de-alguns-bairros.html#comments
Um grande abraço!

ericsiqueira disse...

Professores Marcelo e Adinalzir.
Valeu pela visita, ao professor Adinalzir pelos links enviados.
É sempre bom tê-los por aqui.
Abraço.