segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Revolta da vacina, atividade para a turma 3112(Noturno).

Leia o que diz o wikipédia sobre a revolta da vacina, logo após leia um trecho de um email bastante divulgado sobre a vacinação contra a H1N1 na web. 
Atividade para o 3º ano: Faça um comentário neste blog relacionando as duas épocas.
Relacionar: estabelecer conexões entre objetos, proposições, estabelecer relação ou analogia entre coisas diferentes, de causa, finalidade, etc.
Dica: Esta atividade requer que você conheça razoavelmente bem o assunto revolta da vacina, para então emitir um comentário consistente. O importante é se informar sobre o assunto.
Prazo final: até o dia 28/11/2010.

Fonte 1: wikipédia
"Tiros, gritaria, engarrafamento de trânsito, comércio fechado, transporte público assaltado e queimado, lampiões quebrados à pedradas, destruição de fachadas dos edifícios públicos e privados, árvores derrubadas: o povo do Rio de Janeiro se revolta contra o projeto de vacinação obrigatório proposto pelo sanitarista Oswaldo Cruz" (Gazeta de Notícias, 14 de novembro de 1904).

A resistência popular, quase um golpe militar, teve o apoio de positivistas e dos cadetes da Escola Militar. Os acontecimentos, que tiveram início no dia 10 de novembro de 1904, com uma manifestação estudantil, cresceram consideravelmente no dia 12, quando a passeata de manifestantes dirigia-se ao Palácio do Catete, sede do Governo Federal. A população estava alarmada. No domingo, dia 13, o centro do Rio de Janeiro transforma-se em campo de batalha: era a rejeição popular à vacina contra a varíola que ficou conhecida como a Revolta da Vacina, mas que foi muito além do que isto.

Para erradicar a varíola, o sanitarista convenceu o Congresso a aprovar a Lei da Vacina Obrigatória (31 de Outubro de 1904), que permitia que brigadas sanitárias, acompanhadas por policiais, entrassem nas casas para aplicar a vacina à força.

A população estava confusa e descontente. A cidade parecia em ruínas, muitos perdiam suas casas e outros tantos tiveram seus lares invadidos pelos mata-mosquitos, que agiam acompanhados por policiais. Jornais da oposição criticavam a ação do governo e falavam de supostos perigos causados pela vacina. Além disso, o boato de que a vacina teria de ser aplicada nas "partes íntimas" do corpo (as mulheres teriam que se despir diante dos vacinadores) agravou a ira da população, que se rebelou.

A aprovação da Lei da Vacina foi o estopim da revolta: no dia 5 de novembro, a oposição criava a Liga contra a Vacina Obrigatória. Entre os dias 10 e 16 de novembro, a cidade virou um campo de guerra. A população exaltada depredou lojas, virou e incendiou bondes, fez barricadas, arrancou trilhos, quebrou postes e atacou as forças da polícia com pedras, paus e pedaços de ferro. No dia 14, os cadetes da Escola Militar da Praia Vermelha também se sublevaram contra as medidas baixadas pelo Governo Federal.

A reação popular levou o governo a suspender a obrigatoriedade da vacina e a declarar estado de sítio (16 de Novembro). A rebelião foi contida, deixando 50 mortos e 110 feridos. Centenas de pessoas foram presas e, muitas delas, deportadas para o Acre.

Ao reassumir o controle da situação, o processo de vacinação foi reiniciado, tendo a varíola, em pouco tempo, sido erradicada da capital. 
Fonte2 : email em massa.
"NÃO TOME A VACINA!
Recebi este e-mail de uma amiga. Estou repassando porque o assunto é muito sério e a gente tem que ficar muito atento.
Principalmente, sobre NÃO tomar essa vacina assassina que estão querendo que seja compulsória acho que é Tamiflu. A vacinação em massa está programada para o início do Outono aí pra vocês.. Aconteça o que acontecer NÃO tome! Ela será tripla. E segundo as pessoas que estão trabalhando arduamente para impedir este genocídio em massa do planeta, ela tem mercúrio e oleo de esqualeno, que são altamente tóxicos. Aliás aí na América, a loucura já chegou ao ponto de dizerem nas TVs que mercúrio é bom pra população! Na veia, melhor ainda pelo jeito. Morte na certa.
Até onde sei, a primeira vacina faz com que as hemácias caiam drásticamente, a segunda injeta o vírus, e a terceira “liga” o corpo de novo para ele começar a lutar, só que aí já é tarde tamanha a violência do ataque dos vírus que já se multiplicaram... 

Replica:
A pessoa que escreveu isto deve ser um terrorista de baixa categoria, pois parece que não conhece nada do que está falando. De início diz que a vacina é a Tamiflu do laboratório Novartis. Tamiflu não é vacina é uma droga antiviral para tratamento da influenza e é do laboratório Roche, nada tem a ver com o Novartis. A vacina que está sendo empregada no Brasil é do laboratório SanofisPasteur (francesa) o mesmo laboratório do qual compramos a tecnologia para fabricar a vacina contra a gripe que já vem sendo usada no Brasil há alguns anos. Essa não é a primeira vacina que tem mercúrio em sua fórmula e essa história de autismo é criação de um médico que tem nos Estados Unidos. A vacina contra o sarampo é outra que usamos há anos e tem mercúrio na fórmula". Veja toda a postagem em: http://www.pleonasmo.com.br/12/03/2010/vacina-h1n1-a-teoria-da-conspiracao/



fontes: 
Imagem: Capa da Revista da Semana sobre a Revolta da Vacina, outubro de 1904
 

11 comentários:

Anônimo disse...

A Revolta da Vacina
O Rio de Janeiro, na passagem do século XIX para o século XX, era ainda uma cidade de ruas estreitas e sujas, saneamento precário e foco de doenças.
Ao assumir a presidência da República, Francisco de Paula Rodrigues Alves instituiu como meta governamental o saneamento.
O Rio de Janeiro passou a sofrer profundas mudanças, com a derrubada de casarões e cortiços e o conseqüente despejo de seus moradores. A população apelidou o movimento de o bota abaixo. Ao mesmo tempo, iniciava-se o programa de saneamento de Oswaldo Cruz. Para combater a peste. Ele criou brigadas sanitárias que cruzavam a cidade espalhando raticidas, mandando remover o lixo e comprando ratos.
Finalmente, restava o combate à varíola. Autoritariamente, foi instituída a lei de vacinação obrigatória. A população, humilhada pelo poder público autoritário e violento, não acreditava na eficácia da vacina. A vacinação obrigatória foi o estopim para que o povo, já profundamente insatisfeito com o bota abaixo. Enfrentou as forças da polícia e do exército até ser reprimido com violência.

aluno:Alessandro Damião da Silva cordeiro.
André da silva guerreiro.
sala:3112

Anônimo disse...

A revolta da vacina foi marcada por medo da vacinação contra varíola ocasionada, por falta de informação e conhecimento e agravado pela forma violenta por que foi imposta à população. Portanto, quase não se difere da época da vacina contra a h1n1, pois mesmo com tanto conhecimento, informação e tecnologia avançada muitas pessoas deixaram de se vacinar ou vacinaram-se com receio por medo de seus efeitos.
Vale ressaltar, que a revolta da vacina foi o estopim para que o povo se rebelasse. As pessoas já viviam uma verdadeira desordem, sem saneamento básico, desemprego, custo de vida altíssimo e uma grande exclusão social. Hoje, mesmo passado tanto tempo não se difere da nossa realidade.
Alunos: Jonas Trindade Albuquerque e Ruth Henny Trindade Albuquerque

Anônimo disse...

a revolta da vacina não foi bem sucedida por falta de informação,pois, como explica para pessoas que estavam acustamados a tratar suas doenças com chá ervas e outras coisas caseiras,que agora eles teriam que tomar uma vacina que irea machucar,doer e ainda poderia manisfetar sertos sintomas.e com tudo isso eles não tentaram de forma passifica querendo ou não a população teria que tomar e com isso eles se revoltaram. no caso da h1n1 ñão foi muito diferente pois pela mesma falta de informação muitos pensavam que poderiam contrair a doença por tomar a VACINA pelo virus esta na sua formula.e entr4e tudo em cer6tas pessoas ainda se manifestou alguns sintomas e pela falta de informação pensaram que estavam cvontraindo a doença.resumindo tudo isso poderia der diferente se houvese mais informações.denise pontes turma 3112

Anônimo disse...

A revolta da vacina
A revolta da vacina foi marcada pelo medo da população,eles estavam apavorados com a vacinação que era para combater a Varíola.Pois foi colocada de uma maneira extremamente violenta,tipo quando os matas mosquistos invadiram as casas dos populares junto com os policias,isso assustou e causou alvoroço.
E é interresante também resaltar sobre a vacina H1N1,que muitas pessoas ficaram com receio de tomar e outras que tomaram também se sentiram certas reações,hoje não temos obrigação de tomar era antigamente,com uma grande diferença hoje as pessoas procuram os postos de Saúde e são bem mais informados.Célia Regina fonseca, Greicy Alice Ferreira turma 3112

Anônimo disse...

No século XX ,o Rio de Janeiro vivia em situação precaria com relação ao saneamento com isso era constantes as epdemias, foi colocado em pratica a campanha de vacinação obrigatória seu objetivo era positivo mas a vacina era aplicada nas pessoas com autoridade e violência,o que caudou revolta na população Já o virus H1N1 foi marcado pelo medo,pelo fato de que várias pessoas manisfestaram alguns sintomas e sem informações elas pensavam que haviam contraído o Vírus H1N1.Dimas da costa Pereira,Raphael Jardim turma 3112 noite.

Anônimo disse...

a revolta da vacina
ocorreu no rio de janeiro por volta do seculo xx.o rio inha as rua sujas e extreitas o que ocassionava acumulo de lixo e a propagação de muitas doenças...o estopin da revolta da vacina ocorreu quando oswaldo cruz decretou que todos tinhan que tomar vacina.querendo ou não pois era obrigatorio a policia invadia as casascom violencia e aplicavam a vacina a força.pois estavam cunprindo a lei.
aluno:alessandro damiao e andre da silva guerriero .

manduca18 disse...

Como podemos ver a revolta da vacina ocorreu no início do século xx,o Rio de Janeiro passava por problemas urbanos e com isso apareceram graves doença.
Diante disso iniciaram um projetos sanitários e um desses projetos foi vacinação contra doenças,mas a população ficou revoltada e não aceitou a vacinação, porque elas sentiam-se obrigadas a serem vacinadas.

Anônimo disse...

Como podemos ver a revolta da vacina ocorreu no início do século xx,o Rio de Janeiro passava por problemas urbanos e com isso apareceram graves doença.
Diante disso iniciaram um projetos sanitários e um desses projetos foi vacinação contra doenças,mas a população ficou revoltada e não aceitou a vacinação, porque elas sentiam-se obrigadas a serem vacinadas.

Anônimo disse...

Como podemos ver a revolta da vacina ocorreu no início do século xx,o Rio de Janeiro passava por problemas urbanos e com isso apareceram graves doença.
Diante disso iniciaram um projetos sanitários e um desses projetos foi vacinação contra doenças,mas a população ficou revoltada e não aceitou a vacinação, porque elas sentiam-se obrigadas a serem vacinadas.

Anônimo disse...

Como podemos ver a revolta da vacina ocorreu no início do século xx,o Rio de Janeiro passava por problemas urbanos e com isso apareceram graves doença.
Diante disso iniciaram um projetos sanitários e um desses projetos foi vacinação contra doenças,mas a população ficou revoltada e não aceitou a vacinação, porque elas sentiam-se obrigadas a serem vacinadas.

ericsiqueira disse...

Olá pessoal, a partir desse momento encerrou o envio das postagens avaliativas.

O objetivo desta atividade é fazer com que o aluno faça relações entre o presente e o passado usando coerentemente seus conhecimentos de forma argumentativa.

Esta atividade vale 3 pontos.

1 pt- Não atingiu o objetivo.Mas se esforçou em realizar a atividade.
2 pt- Atingiu parcialmente o objetivo.
3 pt- Atingiu totalmente o objetivo.

A informação é o centro da questão, enquanto na revolta da vacina observamos a falta de informação sobre a vacina, atualmente, no caso da H1N1, vemos um excesso de informações; notícias estas muitas vezes opostas cabendo ao cidadão um alto nível de bom senso para perceber a informação correta. Cabe destacar que a vacina foi a "gota d'agua" para a revolta da população que já vinha paulatinamente sendo vítima de diversas exclusões sociais.